Eu, um alemão e alguns sorrisos

techo_rudy

“Que momento glorioso!” – foi assim que terminou o livro sobre Dostoiévski no período que esteve preso e sua tão esperada, sonhada liberdade. Em seguida, lá estava eu percorrendo diversas estações do metrô entre suas cores e movimentos. Livros em mãos, um garoto alemão e alguns sorrisos que surgiam entre uma página e outra – Mágico!

Ele raramente estava sozinho, pois a protagonista da sua história era a garota Liesel Meminger que não demorou muito para se tornar a sua melhor amiga. O nome dele era Rudy Steiner, o meu grande realizador de risos inocentes.

O mês de Outubro foi assim, conduzido pela fantástica história de “A Menina Que Roubava Livros” – onde Markus Zusak, permitiu-me viajar sem pressa pela cidade, foi possível reler capítulos e depois seguir normalmente como se nada houvesse acontecido.

Enquanto isso, eu e Rudy estávamos jogados as deliciosas aventuras diante de alguns contratempos já que eu estava ali fascinado pelas suas histórias. Diante de tanta identificação restou rir e chorar ao transmitir puras emoções.

Quando chegamos ao final do nosso percurso, não houve uma despedida solene e sim, um até breve. Pois, nossos corações se alimentavam de boas e incríveis recordações.

***

Vamos lá, deixe um comentário ; )

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s