De Ponta Cabeça

depontacabeça

Sou um amanhecer…

Anoitecer.

Repleto de fendas, caminho pela cidade sozinho.

Vivo. Viver por viver.

 

Sou uma tarde de domingo…

Consumido. Gasto. Corroído por dias.

Opacos. Talvez…

Amargos.

 

Sou o inexplicável.

O egoísta barato. A vida seca de algum literário.

Ódio e amor. O poder de escolha.

Complexidade da espécie humana.

 

Sou aquilo que se cogita por palavras. Murmúrio.

Denso. Extenso. Nomenclatura grotesca.

Um espírito com poder animal.

Louco racional. Todos nós somos um pouco.

 

Ansiosos. Confusos. Temerosos.

Aos absurdos desde mundo.

Onde o que se procura. Procura-se.

 

Um dia se acha.

O segredo abstrato. A respiração ofegante.

A escrita sem correção. Pois, odeio a perfeição.

 

Que já foi desejada por todos nós entre várias expectativas criadas.

Em meio a tudo aquilo que já foi o verdadeiro nada.

Por fim, tudo encontra-se de ponta cabeça.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s