Antiquado

contraluzSinto-me antiquado. Guardo-me entre retalhos de um passado.

Entre folhas rabiscadas, versos que foram escritos, vaga pela minha mente o silêncio.

Um silêncio de sorriso singelo e olhar contraditório.

Sinto-me antiquado. Guardo-me entre poucas palavras.

Entre noites de insônia e pesadelos que não consigo mencionar.

Um pesadelo de sentimentos perplexos.

Sinto-me antiquado por viver contra luz.

Imaginando abrindo a porta da minha alma.

Libertando-me de prisões psicológicas.

Sinto-me antiquado e não importa o tempo.

A janela da alma são os meus olhos de encontro a luz.

Uma luz tão afável como um poema.

Sinto-me antiquado por habitar somente entre palavras.

Palavras eternas de amor, ódio, vitórias e derrotas.

Antiquado são os nossos corações.

*Foto de César Augusto V.R. – http://www.flickr.com/photos/poesia/

Vamos lá, deixe um comentário ; )

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s